Médicos: Crianças tomam cada vez mais antipsicóticos e podem ficar "como robôs"


Cada vez mais crianças estão a ser tratadas com antipsicóticos e outros remédios psiquiátricos habitualmente prescritos a adultos com doenças graves do foro mental. Os médicos alertam para o excesso de medicação em casos de hiperactividade e défice de atenção, com recurso a substâncias para tratar esquizofrenia.

No ano passado, foram vendidas mais de 270 mil embalagens de Metilfenidato (ritalina), mais 30 mil do que em 2013. O medicamento é receitado sobretudo nos hospitais públicos e em clínicas privadas (39%) a crianças e adolescentes (entre os 5 e os 19 anos) e os números têm vindo a aumentar, sobretudo desde 2010, mostra o relatório do Infarmed, citado pela notícia do “Diário de Notícias”.

Ler mais.

Notícias //